A Facisc entregou durante evento realizado em São José (13.09) a cerca de 50 candidatos a governador, senador, deputados federais e estaduais o documento Voz Única, que possui 44 páginas e traz um resumo das opiniões de 80 mil empresários filiados às entidades que fazem parte da federação.

A Associação Empresarial de Palhoça (ACIP), que inclusive colaborou com encaminhamento de sugestões para o documento, marcou presença no evento através do seu Presidente,  Marcos Cardoso, do Vice Diretor Jurídico, Henrique Franceschetto e do associado Carlos Altafini, do Núcleo de Inovação.

A Facisc apurou 702 demandas dos empresários, nos setores de infraestrutura, gestão pública, questões tributárias, segurança, educação, saúde, entre outros. “O documento apresenta os pleitos em cada área, e quais setores são mais preocupantes na visão dos empresários”, destaca Jonny Zulauf, presidente da Facisc. A infraestrutura é um dos maiores destaques. Foram 331 pedidos feitos de melhorias na área, com foco nas rodovias que cruzam Santa Catarina.

As associações empresariais de Florianópolis, São José (Aemflo), Palhoça, Biguaçu, Itapema, Bombinhas, Antonio Carlos, Tijucas, Canelinha e Santo Amaro da Imperatriz paticiparam do projeto através de contribuções apresentadas no formato de reivindicações. Ao total foram 75 pleitos apresentados pelas associações da região. A infraestrutura continua sendo o carro-chefe, com mais de 33% das solicitações.

O Presidente da ACIP, Marcos Cardoso, considera que a questão fundamental de todo o processo é a seriedade com o gasto público. “A classe política precisa reconquistar a confiança da população e não existe melhor comportamento do que a lisura na gestão do recurso público, a efetividade e a busca do resultado de sua aplicação”, acentuou o dirigente.

Entre as questões regionais da Grande Florianópolis apontadas pelas associações, chamou a atenção o destaque, como segundo item mais relevante, a inserção da disciplina de empreendedorismo na grade curricular (educação fiscal, financeira, jogos de empresas, etc…) e apoio ao Projeto Escola sem partido. “Temos uma vocação muito forte para as práticas associativistas e a própria atuação da ACIP é exemplo disso. Trata-se de uma questão que tem bom potencial de aplicabilidade e vamos apoiá-la”, concluiu Cardoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *